No auge das redes sociais, pensar em se comunicar por e-mail pode parecer até mesmo um pouco antiquado. Mas não se engane, é no e-mail que os usuários confiam mais e ele ainda é uma poderosa ferramenta de marketing, eficaz e econômica.

Listamos motivos pelos quais você ainda deve dar atenção para essa ferramenta, e inseri-lá de uma vez por todas na sua lista de boas práticas de comunicação:

É barato

Programar uma newsletter é incrivelmente acessível em comparação a outras táticas de marketing, como o Google AdWords ou publicidade em plataformas sociais como o Facebook ou Youtube. Para quem está começando, há serviços na internet que permitem que você envie até 12.000 e-mails por mês absolutamente grátis, se você tiver menos de 2.000 assinantes. O custo depois disso cresce um pouco, mas se você tem mais de 2.000 assinantes, sua estratégia de e-mail provavelmente está indo no caminho certo.

Análises instantâneas

O aspecto mais frustrante de alguns tipos de marketing, especialmente para aqueles que estão começando, é de não ser capaz de medir um retorno direto sobre o investimento, ou mensurar números palpáveis de como vai a sua audiência. Usando algumas plataformas de e-mail marketing, no entanto, você receberá análises imediatas que lhe permitem medir o sucesso de sua empreitada. As taxas de abertura, cliques e inscrições estão entre as métricas-chave que você deve seguir para entender se o e-mail marketing para sua clínica está trazendo o retorno esperado.

Dica importante: Após alguns envios, assegure-se de limpar sua lista de inscritos na intenção de remover e-mails repetidos, que voltaram, ou que não existem mais, pois estes irão deixar os números das análises confusos, podendo provocar uma leitura incorreta dos dados. A partir daí, tente melhorar suas métricas com cada envio e periodicamente limpe sua lista para manter a precisão dos e-mails corretos para sua clínica.

Taxa de resposta elevada

As pessoas só se inscrevem em newsletters de marcas e empresas nas quais elas estão interessadas, então, se alguém estiver se inscrevendo na newsletter do seu consultório, eles provavelmente querem saber o que você tem a dizer.

Sendo assim, é importante está sempre com um olho afiado para os casos em que a taxa de cancelamento começa a subir. Se isso acontecer, você saberá que provavelmente não está fornecendo o conteúdo desejado para aquele público ou que precisará ajustar sua estratégia.

É hora de pensar se a frequência de envio está muito alta, se esse público realmente está interessado no seu conteúdo, ou até mesmo se o visual da sua newsletter está agradável.

Manutenção do relacionamento

Mesmo que a decisão pela newsletter para sua clínica tenha sido feita para ajudar a gerar novos negócios, ainda é possível garantir uma conversa com os pacientes que você já possui.

Para ver se os pacientes já ativos e o futuros pacientes estão respondendo de maneira diferente a sua newsletter,  segmente seus assinantes em uma lista de pacientes e uma lista de prospecções, podendo assim comparar as métricas e entender melhor como cada um deles responde ao seu conteúdo.

Navegue por terras conhecidas

Com o e-mail, você é o dono da experiência que seus assinantes têm com sua newsletter. É você mesmo quem constrói sua casa em terras próprias, se tornando independente das outras plataformas sociais como o Facebook ou Google AdWords, que continuam mantendo atualizações em seus algoritmos, sempre mudando as formas de alcance ou de engajamento das plataformas.

Com o endereço eletrônico, uma lista de assinantes limpa e concisa para sua clínica ou hospital, você tem a certeza que está atingindo diretamente aquelas pessoas, com conteúdo relevante e que os torna mais do que pacientes: amigos do seu negócio.

Aproveite as dicas acima e perca de vez o medo do marketing digital para sua clínica!

Write A Comment